Publicidade
ATENÇÃO SR(s) INTERNAUTAS
Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

BURITIS

POLÍCIA DIZ QUE GAROTA RODEIO DA EXPOBUR 2018 FOI MORTA ESTRANGULADA ANTES DO CORPO SER CARBONIZADO

O incêndio ocorreu dentro da casa. O colchão de Camila pegou fogo, a princípio levantando a suspeita de que o celular, conectado à tomada para carregar, tenha originado a tragédia, mas, segundo a polícia, a moça foi estrangulada com um fio. O incêndio seria criminoso. Uma pessoa foi presa. 

Buritis, Rondônia - A modelo Camila Sacoman Oliveira, de 17 anos, filha do empresário Dirceu da Funerária, morreu tragicamente em um incêndio, na madrugada deste sábado, em sua casa, na rua Primo Amaral, setor 03, em Buritis,município localizado a 320 Km de Porto Velho. A polícia investiga a possibilidade de homicídio. A jovem teria sido estrangulada com um fio semelhante a de um secador de cabelo antes da casa ser incendiada e seu corpo, carbonizado. Suspeito de homicídio e incêndio criminoso, um menor foi apreendido. O fio estava enrolado no pescoço da modelo. 

Eleita Garota Rodeio da Exposição Agropecuária de Buritis ( EXPOBUR/2018) , Camila estava  no seu quarto quando houve  o incêndio. Antes, a polícia trabalhava com a possibilidade da residência ter pegado fogo devido a um celular conectado à tomada para carregar, mas houve uma reviravolta no caso.

A polícia já apurou que, na noite de sexta-feira (12), Camila estava numa festa em companhia de uma amiga. Houve uma discussão entre o casal de namorados que a acompanhava. A modelo tirou a amiga do local, mas foi perseguida até em casa. 

O incêndio ocorreu dentro da casa. O colchão de Camila pegou fogo, a princípio levantando a suspeita de que o celular, conecatado à tomada para carregar, tenha originado a tragédia, mas, segundo a polícia, a moça foi estrangulada. O incêndio seria criminoso. Uma pessoa foi presa. 

"O que se encontrou até o presente momento sobre a morte em si foi que ela teria sido praticada por asfixia mecânica, mas há possibilidade da vítima não ter morrido de imediato e sim em razão do incêndio que foi praticado logo depois", disse o delegado regional à frente do caso, Rodrigo Duarte.

"Nós analisamos a participação de uma segunda pessoa, o que está sendo investigado ainda. Testemunhas ainda estão sendo ouvidas", complementou o delegado.



Tudorondonia/Fotos: TBN Notícias

Comentários