Publicidade
ATENÇÃO SR(s) INTERNAUTAS
Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

VILHENA

POLÍCIA CIVIL PRENDE ACUSADO DE MATAR JOVEM PRÓXIMO AO AEROPORTO EM VILHENA, RO

Homem estava foragido da Justiça em Rondônia e no Mato Grosso. Comparsa foi condenado a 12 anos de prisão.

O acusado de matar um jovem, próximo ao aeroporto de Vilhena (RO), foi preso no último fim de semana, em Cuiabá (MT). O crime aconteceu em outubro de 2017. De acordo com a Polícia Civil, o homem estava foragido da Justiça em Rondônia e no Mato Grosso.

Segundo a Polícia Civil do MT, o acusado, de 23 anos, estava foragido da Justiça há 5 anos e tinha quatro mandados de prisão, sendo três por homicídio e um por tráfico de drogas. As ordens de prisão foram decretadas pelas comarcas de Vilhena e Comodoro (MT).

Ele foi preso no Bairro Três Barras em Cuiabá, em uma ação integrada da Gerência Estadual de Polinter e delegacia de Comodoro. O G1 não localizou a defesa do acusado.
 Homicídio em Vilhena
 De acordo com a PM, uma pessoa ligou na central e disse que dois homens, em uma motocicleta, atiraram contra um rapaz, próximo ao aeroporto da cidade, em outubro de 2017. Os criminosos fugiram após o homicídio.

Após investigações da Polícia Civil, foi apurado que o crime foi cometido por questões ligadas ao tráfico de drogas e rivalidade de grupos criminosos dos quais os envolvidos faziam parte.

Os dois suspeitos foram identificados e denunciados pelo Ministério Público de Rondônia pelo crime de homicídio qualificado. O acusado que pilotou a motocicleta foi preso em junho de 2018 e confessou a participação no crime.
Já o homem que estava na garupa e atirou contra o jovem ficou foragido até este fim de semana, quando foi preso em Cuiabá.

O suspeito preso em junho de 2018 foi julgado pelo Tribunal do Júri em dezembro do ano passado e condenado a 12 anos de prisão. O G1 não conseguiu contato com a defesa do réu para saber se irá recorrer.


Fonte: Por G1

Comentários