Home / Destaques / Acusado de matar acadêmica de medicina veterinária de Rolim de Moura é condenado a mais de 18 anos de prisão

Acusado de matar acadêmica de medicina veterinária de Rolim de Moura é condenado a mais de 18 anos de prisão

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri da Comarca de Rolim de Moura condenou o réu Roger Fonseca Kirmse pela morte Josélia Jonas Barbosa de Almeida. A sessão de julgamento ocorreu na data de ontem, quinta-feira, 24 de março, e foi presidida pela juíza Cláudia Vieira Maciel.

A solenidade teve início às 08h, sendo realizada oitiva de testemunhas e posterior interrogatório do acusado. Após a fase de instrução passou-se aos debates orais, sendo que o Ministério Público e Assistente de Acusação requereram a condenação do acusado nos termos da pronúncia. A defesa, após suas alegações, requereu a negativa de autoria do crime.

O Ministério Público fez uso da réplica, reforçando seus argumentos, sendo que de igual forma a defesa, usando da tréplica, reforçou seus argumentos e insistindo na negativa de autoria.

Após a fase de debates orais, passou-se à votação pelos jurados (pessoas escolhidas na sociedade para serem os juízes da causa), de forma que ao final, Roger foi condenado a 18 anos e 8 meses pelo crime de homicídio, duplamente qualificado (mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa da ofendida e feminícidio).

Por fim, Ministério Público e Assistente de acusação requereram a aplicação do artigo 492, inciso I, alínea “e” do Código de Processo Penal, onde autoriza a execução provisória da pena quando a condenação for superior a 15 anos.

A MMª Juíza acatou o pedido, sendo então determinada a imediata prisão do, agora condenado, Roger Fonseca Kirmse.

Após a sentença, que foi finalizada às 21:30 h, Roger foi conduzido diretamente para a Penitenciária Regional.

O crime

Josélia Jonas era acadêmica de medicina veterinária na UNIR de Rolim de Moura. Na tarde do dia 08 de junho de 2017, a vítima desapareceu após entrar em um veículo Fiat Siena.

Três dias depois do desaparecimento, o corpo de Josélia foi encontrado em uma mata, na linha 164, em Novo Horizonte do Oeste. O corpo apresentava perfurações na face, em decorrência de disparos de arma de fogo.

Já no dia 17, Roger Fonseca se apresentou na delegacia de Ariquemes e confessou a autoria do crime e teve sua preventiva decretada. Na época, ele tinha um caso com a vítima.

 

 

 

 

 

Fonte: alertarolim

About admin

Check Also

Vilhena: Mulher é sequestrada, torturada e ameaçada para retirar queixa contra ex-marido preso por violência doméstica

Ilustração/Internet Na noite de quinta-feira (24), uma guarnição da Polícia Militar foi acionada e compareceu …

Deixe uma resposta

tag: