Home / Destaques / Funcionário do Banco do Brasil em Jaru é suspeito de ter desviado 3 milhões de Reais

Funcionário do Banco do Brasil em Jaru é suspeito de ter desviado 3 milhões de Reais

Um funcionário da agência bancária do Banco do Brasil em Jaru, município localizado em torno de aproximadamente 290 quilômetros de Porto Velho, teria furtado uma quantia de 3 milhões de Reais.

O site apurou que o funcionário não está mais na cidade de Jaru e que um mandado de prisão foi solicitado em desfavor do mesmo.

Conforme apurado, em meados de outubro de 2020 teria acontecido o desvio. Aproximadamente dois meses depois é que houve a suspeita do funcionário que teria se beneficiado de um ponto “cego” da câmera para praticar o desvio do dinheiro.

O site entrou em contado com o Delegado da Polícia Civil de Jaru, Dr. Salomão de Matos e ele apenas confirmou que existe um inquérito concluído e que não poderia comentar mais sobre o assunto, que segue em segredo de justiça.

O site apurou também que a agência bancária abriu um processo administrativo contra o funcionário de carreira do Banco do Brasil que exercia a função de tesoureiro.

A reportagem ainda não obteve informação se o funcionário apontado como suspeito de desviar a quantidade milionária foi desligado de vez do banco.
A redação conseguiu apurar com fontes seguras que aproximadamente 80% do dinheiro desviado já teria sido recuperado e voltado para os cofres da instituição bancária.

Assim que foi descoberto a “malandragem” o funcionário teria pedido afastamento das suas funções e iniciou um suposto tratamento de saúde.

O site não conseguiu informações se o funcionário teve ajuda de mais alguém para desviar essa quantia que se aproxima ou passa de 3 milhões de Reais. O processo administrativo que pesa contra o funcionário é interno e sigiloso.

 

 

 

 

 

Fonte: Portal P1

About admin

Check Also

População saqueia carga de cerveja após carreta carregada tombar em Porto Velho

Uma carreta carregada de cerveja tombou após passar por um córrego na rua América do …

Deixe uma resposta

tag: