Home / Destaques / Sobe para 51 o número de pessoas mortas por afogamento em RO em 2019

Sobe para 51 o número de pessoas mortas por afogamento em RO em 2019

Acidentes cresceram quase 30% em comparação entre janeiro e outubro do ano passado. Maior incidência é na região do Vale do Jamari.

Número de mortes por afogamento subiu para 51 em 2019. — Foto: Alerta Rolim/Divulgação

Subiu para 51 o número de pessoas que morreram afogadas em Rondônia entre janeiro e outubro deste ano. A quantidade é quase 30% mais alta se comparada com o mesmo período do ano passado – quando houve 40 afogamentos.

Os dados foram repassados na tarde desta segunda-feira (21) pelo comandante do Grupamento de Busca e Salvamento, capitão Clivton Reis, do Corpo de Bombeiros. Até julho deste ano, 40 incidentes tinham sido contabilizados.

Conforme a corporação, dos 51 registros em 2019, 10 aconteceram na região do Vale do Jamari. Já no ano passado, a região do Rio Machado, nas proximidades do município de Ji-Paraná (RO), foi apontada como a de maior risco. Houve oito mortes.

Por telefone, Clivton informou que o caso do menino encontrado morto dentro de um lago de loteamento em Porto Velho não pode ser considerado morte por afogamento, no momento, já que o laudo do Instituto Médico Legal (IML) ainda não saiu com o resultado. “Tem que aguardar o laudo. Caso a morte dessa criança seja comprovada por afogamento, sobe para 52 o número de casos este ano”, explicou.

Local onde menino morreu em Porto Velho. — Foto: Diêgo Holanda/G1

Clivton revelou que o período de estiagem é a época com maior incidência de acidentes e que, por isso, os Bombeiros fazem campanhas de prevenção. “Há formação de praias, de banco de areias. Então fazemos campanha sobre os riscos justamente porque é o período do ano com maior registro de afogamentos”, reforçou o capitão.

Somente em janeiro a novembro do ano passado, o Corpo de Bombeiros contabilizou 63 mortes por afogamento. O número de ocorrências ultrapassou o balanço de todo 2017, que fechou o período com 55 registros.

As estatísticas da Secretaria de Segurança, Defesa e Cidadania do Estado de Rondônia (Sesdec) mostraram que mais de 600 pessoas se afogaram entre janeiro de 2007 e outubro de 2018. O ano de 2011 foi o período com maior incidência: cerca de 80 acidentes dessa natureza foram registrados.

Ainda segundo o que apontou a Sesdec, quase 90% das pessoas que se afogaram e morreram são do sexo masculino. O restante, pouco mais de 12%, são do feminino.

Veja dicas para evitar afogamentos:

  • Não ingerir bebida alcoólica. Sob efeito do álcool, as pessoas estão mais suscetíveis a acidentes, já que estão com a coordenação motora alterada.
  • Não fazer travessia em rios. O desafio é comum em pessoas que acreditam que conhecem o rio, o que é um erro.
  • Afaste-se da água em caso de temporal ou raio, para evitar descarga elétrica.
  • Evitar comer demais e entrar na água, pois pode ocorrer congestão.
  • Cuidado especial com choque térmico, ou seja, não entrar de maneira abrupta na água após longa exposição ao sol. Há risco de choque térmico e desmaio.
  • Não saltar, principalmente em casos onde não se conhece o local.
  • Crianças perdem-se com facilidade. Mantenha-as sob o seu campo visual. Não permita que entrem desacompanhadas e/ou sem supervisão de um adulto na água.
  • Se você se sentir em perigo, não entre em pânico: tente boiar e peça ajuda.
  • Verifique a possibilidade de forte chuva, procure manter-se em locais elevados, minimizando o risco de ser levado por enxurradas.

 

Fonte: G1/RO

About admin

Check Also

Em Rondônia, garimpeiro é morto com tiro na nuca, desovado e teve Hilux roubada

O garimpeiro foi amarrado e executado com um tiro na nuca, de acordo com a …

Deixe uma resposta

tag: